terça-feira, 17 de julho de 2007

Das maldades

Eu não acredito no diabo, mas eu deveria. Crer na existência da entidade maligna por excelência resolveria todos os meus desvios de caráter. Nada melhor do que culpar o mal ao invés de assumir o mal.

Sempre acreditei em Deus, mas aos poucos eu fui descrendo do diabo à medida que concluía que a maldade vinha de dentro das pessoas, e não de forças transcendentais debaixo da terra. No fundo, o demo é a maior desculpa da humanidade para se poupar de si mesma e fingir belamente que todo desejo podre que tiver não é seu, mas está em você.

Tenho visto o diabo por toda a parte ultimamente, o que significa na minha visão de mundo que eu tenho encarado é minha própria iniqüidade, munido de senso crítico e de humor. Ao invés de lamentar minha fragilidade perante uma força maligna superior, eu condeno a minha fraqueza de não resistir à torrente de lama que me surge por dentro.

A vida é resistência então, e abrir mão do seu salvo-conduto do Inferno só piora as coisas. Invejo as pessoas plenamente boas, que não tem que acordar armadas de suas consciências para brigar contra a perversidade inerente de seus pensamentos. Eu devia afundar, deixar o diabo me salvar da autocrítica, e o que eu faço é me resolver catolicamente e virar o rosto quando a maldade saltita na minha frente como um coelho sujo de terra. Meu diabo de tantas caras, tende misericórdia da minha bondade.


5 comentários:

Iris disse...

o bem e o mal vivem dentro de vc...
bem lúcido =]

Anônimo disse...

O diabo existe sim ... E não está debaixo da terra. Se você acredita em Deus, deveria acreditar no diabo. E é claro que o mal que está dentro de você não é culpa do diabo. Mas é culpa da sua fraqueza, que faz com que o diabo use isso contra você mesmo.

gostei do texto.

Abraço

Vitor disse...

Discordo do anônimo, quando diz que o cara que acredita em Deus também deve acreditar no demo. Eu acredito no que quiser, caramba!

Anônimo disse...

Tudo tem dois lados.
Tudo.

Thiago Augusto Corrêa disse...

Acho que dizer que tem que acreditar no outro é puro reflexo de uma ação e reação. Se existe o bem tem que existir o mal como contraponto.

Mas tudo depende do que se acredita, há quem diga que o diabo é uma manifestação do próprio deus, do lado mau do cara.

Particularmente eu não culpo fraqueza nenhuma minha pelo diabo, acho mais coereente culpar a mim mesmo. Isso se eu acreditasse em fraquezas. =P